6 de março de 2012

...


Pobre daquele que tem coração
O coração é uma casa , onde habita o amor
Sentimento desleal,impuro

O amor é um desordeiro
Ele invade ao coração e bagunça tudo
Depois sai carregando com ele a alma

Pobre daquele que tem coração
Pobre daquele que está com a porta da casa aberta
Pobre de mim com todo esse tempo perdido

E eu que achava que o tempo vivido era mágico
Realmente era mágico, ilusório e frustante
O amor é apenas mais uma, das milhares de ilusões em que ainda teimo em acreditar

1 comentários:

Darlan Fagundes disse...

É irmão...nossas crenças podem acabar por nos derrubar de vez em quando...